domingo, 1 de janeiro de 2017

Maior de Minas celebrará seus 96 anos com Missa em Ação de Graças


Alisson Guimarães 

Na próxima segunda-feira, 2 de janeiro, o Cruzeiro Esporte Clube completará 96 anos de glórias, lutas e conquistas. 

Para celebrar a vitoriosa história do Maior de Minas, será realizada a tradicional Missa em Ação de Graças, na mesma data, às 19h, no Salão Social do Barro Preto, que fica localizado na Rua Guajajaras, 1722. 

A cerimônia será ministrada pelo Padre Gilson de Oliveira Filho e terá como atração musical o Coral Franpax. 

Do Site Oficial do Cruzeiro

Feliz Ano Novo para a maior e mais presente torcida de Minas Gerais



A torcida cruzeirense a cada ano mostra seu apoio incondicional à equipe. Nesta temporada, a Raposa ficou de fora das principais disputas nacionais e mesmo assim os torcedores celestes mostraram porque são os mais apaixonados do estado. A Nação Azul superou a média de 20 mil torcedores em cada um dos certames, seja pela Copa do Brasil ou pelo Campeonato Brasileiro.

No Brasileirão, a torcida da Raposa foi a sexta mais presente aos estádios, com média de publico de 20.583 pessoas. Evidenciando ainda mais a última pesquisa nacional sobre torcidas, onde ficou em sexto lugar geral, e foi a primeira fora do eixo Rio-São Paulo, com 4,0%.

Na Copa do Brasil, o Maior de Minas chegou à semifinal da competição e manteve a média de público acima dos 22 mil torcedores, maior ainda que no Campeonato Brasileiro. O time ainda teve o segundo maior público em uma partida da competição: 50.715 na semifinal, contra o Grêmio, no Mineirão.

Pelo apoio irrestrito da imensa China Azul que desejamos a cada um dos nossos mais de oito milhões de torcedores um excelente 2017. E que este próximo ano nos traga alegrias e muitas conquistas! 
Feliz 2017!!!

Do Site Oficial do Cruzeiro.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Ídolo Eterno dos Cruzeirenses precisa de sua ajuda

Aos 71 anos, Zé Carlos passa o tempo todo em casa vendo pela TV o que mais gosta: esporte (Foto: Portal UAI)

Ele foi um ídolo da torcida do Cruzeiro – aliás, usar o verbo no passado é heresia, pois a condição de adorado pela torcida perdura. Mas os tempos de jogador de meio-campo celeste já estão distantes para José Carlos Bernardo, de 71 anos. 

O craque, que atuou ao lado de Piazza e Dirceu Lopes, está doente e precisando de ajuda. Vítima de um acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico, vive em eu apartamento, em Contagem, cuidado pela esposa, fiel escudeira, Eunice Braga Tolentino Bernardo, a Nice, de 58 anos, que não arreda pé do lado dele. Acordam, tomam café, almoçam, lancham, vão a médicos, jantam e vão dormir juntos.

Cuidar de Zé Carlos, segundo Nice, custa cerca de R$ 3 mil por mês. O plano de saúde é via Associação de Garantia do Atleta Profissional (Agap), entidade que contribui com R$ 400 por mês. No mais, eles dependem da aposentadoria do ex-jogador, que é pequena e não dá para cobrir todos os gastos.

Amigos contribuem quando e da forma que podem. Ex-companheiros são visitas frequentes. Toninho Almeida vai mensalmente. Na semana passada, levou Raul, Natal e Evaldo. Dirceu Lopes também esteve na casa do amigo – saiu de lá chorando. Toninho Cerezo foi rever o craque. Ao ouvir nomes do ex-companheiros, Zé Carlos os repete, uma das poucas coisas que fala, segundo Nice.

Uma corrente de solidariedade está sendo formada para tentar amenizar o sofrimento do ídolo celeste. Companheiros dos tempos de Guarani, seu ex-clube, se ofereceram para vir a BH disputar um amistoso, no Independência, contra veteranos do Cruzeiro, cuja renda seria revertida para Zé Carlos. Um dos interlocutores do projeto é Toninho Almeida.

Outra iniciativa é a do Parrilla del Mercado, de propriedade de Francisco Tomás, que foi vizinho de Zé Carlos há 43 anos. ´A gente era vizinho de porta. Ainda hoje tenho uma pequena imagem de Nossa Senhora Aparecida, que me foi dada pela Nice.` Tomás planejou uma homenagem para arrecadar fundos para ajudar o amigo: ´Será uma noite em que todos que forem ao Parrilla colaborarão. O preço é de R$ 300 por pessoa, com comida e bebida incluídas. Desse total, R$ 50 será para cobrir despesas. O restante será doado à família do Zé Carlos. Vou entregar o dinheiro na mão da Nice. Além disso, haverá sorteio de camisas número 8 e do livro Nossa Sala de Troféus, escrito pelo superintendente de futebol celeste, Sérgio Santos Rodrigues`.

Os companheiros de time de Zé Carlos ainda esperam que o Cruzeiro ajude o ex-jogador. No encontro comemorativo pelos 50 anos do título da Taça Brasil de 1966, Procópio e Tostão conversaram com o presidente Gilvan de Pinho Tavares, que ficou de estudar uma maneira de ajudá-lo, mas a resposta ainda não foi dada.

CUIDADOS

O drama de Zé Carlos começou, segundo Nice, há cerca de cinco anos. No entanto, somente há dois a doença chegou ao ponto mais crítico, quando o ex-jogador ficou acamado – agora está numa cadeira de rodas. Ele passa o dia diante da televisão, assistindo ao que mais gosta: esporte. O casal tem três filhos, Frederico, de 35 anos, vendedor; Gustavo, de 32, que mora e trabalha nos EUA; e Thiago, de 33, desempregado.

Nice conta que há dois anos Zé Carlos quis deixar o emprego no Cruzeiro. ´Ele não falava em outra coisa. Já era efeito da doença, mas a gente não sabia. Foi depois que deixou o Cruzeiro que sofreu uma piora, não falava e o levamos a um médico. Então, foi detectado o AVC isquêmico. Aliás, o caso dele é curioso, pois segundo os médicos, Valadão e Eduardo, atacou lentamente. Eles calculam que o problema começou há cerca de cinco anos. Como não afetava a rotina do Zé Carlos, ninguém percebeu.`

Ontem à tarde, Nice levou o marido a uma clínica de Contagem, para fazer curativo no pé direito, que está com escaras pelo fato de ele passar muito tempo assentado. ´Temos de ir à clínica duas ou três vezes por semana, para fazer curativo`, conta Nice, que também o leva mensalmente aos médicos, para ser examinado e fazer o controle da doença.

O craque

» José Carlos Bernardo

Nascimento: 28/4/1945, em
Juiz de Fora
No Cruzeiro: de 1966 a 1978
No Guarani: 1978
No Villa Nova: 1979

» Principais títulos

Pelo Cruzeiro
633 partidas (2º jogador que mais vestiu a camisa celeste)
Campeão da Taça Brasil’1966
Eneacampeão mineiro (1966/67/68/69/72/73/74/75/77)
Campeão da Libertadores’1976

Pelo Guarani
Campeão Brasileiro’1978

» Times que defendeu

Sport (Juiz de Fora)
Cruzeiro
Guarani
Villa Nova

/elo

Leia mais: http://www.cruzeiro.org/noticia.php?id=49930#ixzz4TZHlPJvi

Bem que a instituição Cruzeiro Esporte Clube poderia contribuir com a família de Zé Carlos nos cuidados que ele necessita. Isso representaria tudo para nosso Ídolo Zé Carlos e quase nada para o Cruzeiro. Será que a diretoria Celeste vai se sensibilizar? Vamos torcer. 

Em 2009 Zé Carlos veio com a delegação do Cruzeiro para um amistoso em Barbacena do time de Juvenis do Villa do Carmo contra os juvenis do Cruzeiro Esporte Clube. Uma matéria no Blog Imagens de Barbacena abordou a vinda de Zé Carlos à cidade, leia aqui.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Cruzeiro fecha o ano com vitória: 3x2

Cruzeiro 3 x 2 Corintians - Mineirão - 38ª rodada - Brasileirão 2016 
Robinho, Arrascaeta e Ezequiel, autores dos gols da partida.

A tarde foi de Robinho
Com um gol e duas assistências Robinho roubou a cena. Mesmo com a pressão do time paulista que queria uma vaga na libertadores e os erros da arbitragem que até ajudaram mais uma vez a equipe de S.Paulo ao validar um gol em impedimento, o Cruzeiro não se entregou e com uma exibição de gala de Robinho conquistou uma bela vitória num bom jogo.

Despedida
Talvez a despedida da temporada, em pleno Mineirão tenha animado nossos guerreiros. No jogo contra o Inter não demonstraram vontade em ganhar o jogo mas contra o rival paulista não faltou empenho. Saímos atrás no placar por duas vezes, mas a superioridade nos deu a vitória merecida. Era visível o descontentamento da equipe da Rede Golpe de Televisão que transmitia o jogo. Sugeriam de tudo para que o time DELES passasse à frente no placar, mas fomos melhores.

O jogo
Perdendo o jogo desde os 7 minutos o Cruzeiro não se entregou. Jogava melhor e não desistia de tentar empatar para depois buscar a vitória. O Corinthians se defendia bem, era o melhor que fazia. Só aos 24 do 1º tempo que Arrascaeta empatou numa jogada iniciada por Alisson, que passou a Sóbis que passou a Robinho e este deu um belo passe para o artilheiro mandar para as redes.  Aos 9 do 2º tempo novamente os rivais passaram a frente. Dois minutos depois Robinho achou Ezequiel em ótimas condições na área, este fuzilou e marcou nosso 2º e o 1º dele no Cruzeiro. Mais dois minutos e Robinho fez o dele assegurando nossa vitória e fechando o placar. O Cruzeiro terminou assim em 12º na tabela e classificado para a Sul Americana. Nada mal para quem, como diziam, iria cair.


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 3 x 2 CORINTHIANS
Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 11 de dezembro de 2016, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Fabio Rodrigo Rubinho (MT) e Leandro dos Santos Ruberdo (MS)
Cartões amarelos: Edimar, Ezequiel (Cruzeiro); Vilson, Balbuena, Guilherme (Corinthians)
GOLS: 
CRUZEIRO: Arrascaeta, aos 24 do primeiro tempo, Ezequiel, aos 11, e Robinho, aos 13 do segundo tempo
CORINTHIANS: Guilherme, aos 7 minutos do primeiro tempo, e Marlone, aos 9 do segundo tempo
CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Léo, Manoel, Edimar, Henrique, Ariel Cabral, Robinho, Arrascaeta (Willian), Alisson (Rafinha) e Rafael Sóbis (Marcos Vinícius
Técnico: Mano Menezes
CORINTHIANS: Walter; Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel (Léo Jabá); Cristian, Romero (Giovanni Augusto), Camacho (Guilherme Arana), Rodriguinho e Marlone; Guilherme
Técnico: Oswaldo de Oliveira

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Cruzeiro joga mal e é derrotado no sul: 1x0

Internacional 1 x 0 Cruzeiro - Beira Rio - 37ª rodada - Brasileirão 2016
Não jogou
O Cruzeiro não jogou nada. É verdade. Não houve empenho, não demonstrou vontade e levou o jogo em fogo brando. O Inter por sua vez mostrou que não tem mesmo condições de permanecer na Série A. Muito fraco, desorganizado e com certeza, devido a situação comete muitos erros. O Cruzeiro não se interessou em aproveitar os erros do Colorado. Temos de compreender a situação de cada time. De um lado o desespero, de outro a tranquilidade do dever (pelo menos de se manter na Série A) cumprido. Não dá pra desprezar estas condições o que não quer dizer que teríamos de aceitar um futebol despretensioso, descompromissado com a vitória e malemolente (como diria Sanjorge). Se para os jogadores o campeonato já acabou, para a torcida que os mantém, NÃO. Queremos nosso time jogando para vencer, com garra, com vontade.

Lambança
O Cruzeiro abusou das chances mas sem vontade não conseguiu vencer. Sofremos com o erro claro da arbitragem que não marcou um pênalti a nosso favor. Não devemos, pelo menos sem que hajam fatos para comprovar, achar que houve um acerto para aliviar para o Inter. Não creio, embora possa haver ainda menos vontade e empenho de um ou outro jogador pela simpatia com o time sulino mas, isso é algo que só podemos supor. O que vale é que não jogamos para ganhar, no máximo empatar.

Fim de feira
Não há mesmo muito a esperar deste fim de campeonato. Os jogadores já estão com o piloto automático ligado e talvez diante da torcida possamos contar com uma vitória e um bom jogo. Aliás isso precisaria mesmo acontecer para valorizar o apoio incondicional de nossa torcida durante todo o certame. Seria como um mimo ao final desta jornada que tanto nos preocupou. No próximo post falaremos um pouco mais sobre o namoro que o Cruzeiro tem feito com a Segundona. Por hora é só. Avante Celeste.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 1 X 0 CRUZEIRO
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 27 de novembro de 2016, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido R. de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Cartões amarelos: Seijas e Danilo Fernandes (Internacional); Bryan, Manoel e Rafael (Cruzeiro)
Gol: INTERNACIONALValdívia, aos 30 minutos do segundo tempo
INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Geferson (Vitinho); Anselmo, Rodrigo Dourado (Valdívia), Seijas (Ariel), Anderson e Alex; Nico López
Técnico: Lisca
CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Léo e Bryan (Edimar); Lucas Romero, Ariel Cabral (Ábila), Robinho e Rafael Sóbis; Alisson e Willian (Marcos Vinícius)
Técnico: Mano Menezes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Vão pra lá, venham pra cá, naveguem pois:

Notícias do Maior de Minas - Site Oficial

Globo Esporte

Você no mapa:


Visitor Map